Pesquisar este blog

domingo, 20 de maio de 2018

Martinha - Fala mais alto o coração (LP 1988)

LP traz releituras de canções do Dalto, Crystian & Ralf e da própria Martinha
Alguém me pediu este álbum da Martinha, lançado em 1988 pela gravadora 3M. O disco, com 10 faixas, se destaca pelas releituras das músicas “Aqui”, um dos maiores sucessos da cantora e compositora mineira, e “Muito estranho”, hit do Dalto, além de “Pouco a pouco”, de autoria da própria artista, gravada originalmente pelo Gilliard, e “Você”, do Roberto Carlos e Erasmo Carlos. O repertório também inclui “Que homem é esse”, apontada pela própria Martinha como sua melhor composição, feita em parceria com César Augusto, e “Chora peito”, da dupla Chrystian e Ralf. Confira:

01 - Chora peito
(Chrystian - Ralf)
02 - Pouco a pouco
(Martinha - César Augusto)
03 - Não diga nada
(Leonardo)
04 - Já sei
(Renato Teixeira)
05 - Fala mais alto o coração
(L. Vincent)
06 - Aqui
(Martinha)
07 - Muito estranho (Cuida bem de mim)
(Dalto - Claudio Rabello)
08 - Que homem é esse
(Martinha - César Augusto)
09 - Boa noite, amor
(Jose Maria Abreu - Francisco Mattoso)
10 - Você
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)



sábado, 19 de maio de 2018

Leno & Lilian - Antologia 1966/1967 (CD 1995)

 Coletânea da Natal Record foi remixada pelo cantor e compositor Gileno
Em 1995, quando a Jovem Guarda completou 30 anos, o cantor e compositor Gileno – ou Leno, como ficou mais conhecido – criou seu próprio selo fonográfico, a Natal Records. Foi por ela que o artista relançou alguns discos, entre os quais dois volumes da antologia Leno & Lilian, incluindo as principais gravações da dupla. Este é o primeiro volume, com 20 faixas, gravadas nos anos de 1966 e 1967 na CBS/Sony. Sucessos como “Pobre menina”, “Devolva-me”, “Eu não sabia que você existia” e “Está pra nascer”, entre outros, estão no disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço. Confira:

01 - Pobre Menina (Hang on Sloopy)
(B. Russel - W. Farrel - vs: Gileno)
02 - Devolva-me
(Renato Barros - Lilian Knapp)
03 - O Sol se Põe No Horizonte (I'll be on my way)
(J. Lennon - P. McCartney - vs: Lilian Knapp)
04 - Eu Não Sabia Que Você Existia
(Renato Barros - Toni)
05 - Sua Lembrança (Les Paraplules de Cherboourg)
(Michel Legrand - vs: Gileno)
06 - O Balão Vermelho (Red Rubber Ball)
(Paul Simon - Woodley - vs: Lilian Knapp)
07 - Veja Se Me Esquece
(Marcos Roberto - Dori Edson)
08 - Esta Pra Nascer
(Renato Barros)
09 - Eu Já Sei
(Francisco Braga)
10 - Ouçam Todos (Listen People)
(Guouldman - vs: Gileno)
11 - Não Acredito (I'm a Beliver)
(N. Diamond - vs: Rossini Pinto)
12 - Não Vou Mais Pensar Em Você (My mind's Eyes)
(Ronnie Lane - Steve Marriot - vs: Lilian Knapp)
13 - Um Rostinho De Criança (I Don't Care What They Say)
(G. Waller - P. Asher - vs: Gileno)
14 - Não Vai Passar (Free Like Me)
(C. Hardin - vs: Gileno)
15 - Meu Sonho de Amor
(Gileno)
16 - Um Novo Amor Surgirá
(Geraldo Brandão - Guti)
17 - Nem Mesmo Em Sonho
(Renato Barros)
18 - Coisinha Estúpida (Something Stupid)
(Carson - Parks - vs: Gileno)
19 - O Jogo Do Amor (The Game Of Love)
(Ballard - vs: Lilian Knapp)
20 - Parem Tudo
(Gileno)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



sexta-feira, 18 de maio de 2018

Vários artistas - I Festival nordestino da música popular

 Evento realizado em 1969 teve eliminatórias em Fortaleza, Salvador e Recife
No final dos anos 1960, em plena era dos grandes festivais de MPB, o grupo Diários e Emissoras Associados do Norte e Nordeste promoveu o I Festival Nordestino da Música Popular, que teve eliminatórias realizadas em Fortaleza, Salvador e Recife. Na finalíssima, realizada em 23 de agosto de 1969, a música “Poema do amor sem luz”, interpretada por Expedito Baracho e Coral do Carmo do Recife, obteve a primeira colocação, seguida por “Bai Bai Baião” (Lauro Benevides) e “Moinho de vento” (Carlos Gazineo e José Emmanuel). O registro das 12 finalistas está neste LP, produzido pela Mocambo/Rozenblit, e enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço. O Festival, com patrocínio da Chrysler, que tem anúncio na contracapa do disco, chamou a atenção do público para os novos compositores que surgiam. Confira:

01 - Expedito Baracho e Coral do Carmo do Recife - Poema do amor sem luz
(Cussy de Almeida - Reinaldo de Oliveira) 
02 - Lauro Benevides - Bai Bai Baião 
(Rodger Rogério - Dedé Evangelista) 
03 - Carlos Gazineo e José Emmanuel - Moinho de vento 
(Mário César Nascimento Brito) 
04 - José Guilherme, Ricardo Mergulhão, Luis Martinho e Luiz Cardoso Ayres - Voltei 
(José Guilherme da Fonte - Antonio Cabral de Melo) 
05 - Walter Queiroz e Conjunto Prefixo 4 - A cigana e o alecrim 
(Walter Queiroz Júnior) 
06 - Tema Trio - Menina de trança num dia de sol 
(Carlos Lacerda - Cid Seixas) 
07 - Miramar, Celeste e Atahaulpa - Poema do Chapeuzinho Vermelho 
(Alcyvando Luz - Jairo Simões) 
08 - Fernanda Aguiar e Marly Mayer - Cantata do amor maior 
(Paulo Fernando Gama - Fernanda Aguiar - Marcus A.) 
09 - Lauro Benevides, Conceição Benevides e Regina - Caminhada 
(Lauro Benevides) 
10 - Conceição Benevides - Boca de Forno
(Tânia Barbosa Cabral de Araújo) 
11 - Ronaldo - Caminhante
(Frederico Guilherme de Matos Pereira) 
12 - Claudionor Germano e Coral Infantil - Cirandância 
(Cussy de Almeida - Marcus Accioly)


COLABORAÇÃO: Laércio


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Trilha sonora nacional da novela Corpo Dourado (1998)

 
CD inclui intérpretes como Andréa Bocelli, Blitz, Rita Lee, Cidade Negra e outros
Atentendo a pedidos, segue a trilha sonora nacional da novela "Corpo Dourado", produzida pela Rede Globo, e exibida no horário das 19 horas entre 12 de janeiro e 21 de agosto de 1998, com 191 capítulos. Foi escrita por Antônio Calmon com a colaboração de Ângela Carneiro, Eliane Garcia, Flávia Lins e Silva, Lílian Garcia e Alberto Goldin. Tendo a direção geral conduzida nos primeiros capítulos por Flávio Colatrello Jr., foi posteriormente substituído por Marcos Schechtman. Também dirigiram a novela Fábio Junqueira, Flávio Galvão e João Camargo. A trama apresentou Cristiana Oliveira, Humberto Martins, Marcos Winter, Maria Luísa Mendonça, Gerson Brenner, Danielle Winits, Fábio Júnior e Giovanna Antonelli nos papéis principais. A trilha sonora traz intérpretes como Rita Lee, Cláudia Telles, André Bocelli (em dueto com Sandy), Deborah Blando, Blitz, Paulo Ricardo e outros. Confira:

01 - Andréa Bocelli & Sandy - Vivo por ella
(V. Zelli - M. Mengali - G. Panceri - Adpt. Cláudio Rabello) 
02 - Netinho - Pra te ter aqui
(Manno Góes) 
03 - Michael Sullivan - Coração vazio
(Michael Sullivan - Dudu Falcão) 
04 - Chitãozinho & Xororó - Pura emoção (Só Meu Coração) (Achy Breaky Heart)
(Don Von Tress - Adpt. Dudu Falcão) 
05 - Deborah Blando - Somente o sol  (I'm Not In Love)
(Graham Gouldman - Eric Stewart - Vrs. Dudu Falcão) 
06 - Cidade Negra - Realidade virtual
(Toni Garrido - Da Ghama - Lazão - Bino Farias) 
07 - Adriana Maciel - Grama verde
(André Gomes - Vitor Ramil) 
08 - Blitz - Choveu
(Evandro Mesquita - Antônio Pedro) 
09 - Paulo Ricardo - Dois
(Paulo Ricardo - Michael Sullivan) 
10 - Rita Lee - O que você quer
(Roberto de Carvalho - Arnaldo Antunes) 
11 - Daúde - Quase
(Caetano Veloso - Antônio Cícero) 
12 - Ive - Hanime
(Ive - Fernando Morelo) 
13 - Patricia Marx - Me liga
(Herbert Vianna) 
14 - Cláudia Telles - Se todos fossem iguais a você (part. esp. Sylvia Telles)
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)



quarta-feira, 16 de maio de 2018

Nilo Amaro e cantores de Ébano - Quase um sonho...

 Terceiro LP do grupo vocal foi  produzido em 1964 pela gravadora Odeon
Depois do sucesso obtido com os dois primeiros álbuns, lançados em 1962 e 1963,  período em que se destacou com as faixas “Uirapuru” e “Leva eu sodade”, o grupo vocal Nilo Amaro e seus Cantores de Ébano gravou este “Quase um sonho”, LP produzido em 1964 pela Odeon. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, não obteve a mesma receptividade dos LPs anteriores, apesar de manter a mesma qualidade. O conjunto tinha como característica o fato de todos os cantores serem negros, formados por um soprano, um mezzo soprano, um contralto, dois baixos, um tenor e três barítonos. O destaque era o cantor Noriel Vilela, que fazia o tom mais grave, o chamado ‘baixo profundo”. Após sua morte, na década de 1970, o grupo se desfaz, mas voltou a gravar, sem o mesmo êxito. Confira:

01 - Quando os Grilos Cantam
(Nilo Amaro)
02 - Sinhá Dona
(Heitor Mangeon - Roberto Muniz)
03 - Chove Chuva
(Jorge Ben)
04 - O Amor e O Mar
(Moacyr Bastos)
05 - Canoeiro
(Nilo Amaro - Simão)
06 - Suave Oração
(Nilo Amaro - Candido Cardoso)
07 - Como Sofre o Negro
(Miguel Naves - Paulo Naves)
08 - O Carreiro
(Jair Silva R. Marques)
09 - A Canção do Homem Só
(Ary Monteiro - Tico neto)
10 - Saudade Repartida
(Jacobina - Valdomiro Ramos)
11 - Coco Verde
(Nilo Amaro - Darcy de Souza)
12 - Aquarela do Sertão
(Jayme Silva - Neusa Teixeira - Wilson Cruz)


COLABORAÇÃO: Laércio


terça-feira, 15 de maio de 2018

Richard Brown and his orchestra presents (LP 1972)

 LP gravado por Renato Barros sob pseudônimo foi lançado pela CBS
Tomei conhecimento deste álbum do Richard Brown por meio de um internauta que um dia o solicitou no blog. Finalmente, depois de muito tempo, consegui comprar o CD genérico numa feira de vinil. Trata-se, na verdade, de um disco do Renato Barros, líder do grupo Renato e seus Blue Caps, que o gravou sob pseudônimo, apesar de constar seu nome apenas como diretor artístico do álbum, recheado de releituras de grandes sucessos internacionais da época do lançamento em 1972. Confira:

01 - Help (Get Me Some Help)
(D. Vangarde - N. Byl)
02 - You've Got a Friend
(Carole King)
03 - Have You Ever Been The Rain
(John Fogerty)
04 - Don't Let It Die
(Smith)
05 - Barbarella
(Freitag - Siegel Jr. - Jay)
06 - Butterfly
(H. Barnes - R. Bernet - Danyel Gerard)
07 - The Fool
(G. Montagné)
08 - Go Away, Little Girl
(Gerry Goffin - Carole King)
09 - Acapulco Gold
(T. Randazzo - V. Pike)
10 - They Long To Be Close To You
(H. David - B. Bacharach)
11 - Mighty Clouds Of Joy
(Buddy Buie - Robert Nix)

Direção artística: Renato Barros



segunda-feira, 14 de maio de 2018

José Ribeiro - Simplesmente (LP 1972)

 Álbum de estreia do cantor na CBS trouxe o sucesso "A Beleza da Rosa"
Soube pelo Aderaldo sobre a morte do cantor José Ribeiro, na quarta-feira passada, dia 9, aos 84 anos, no  município de Pindoretama, no Ceará. O artista teve um ataque cardíaco fulminante no mercantil do qual era dono, após passar mal e reclamar de falta de ar. A equipe médica do hospital local foi acionada, e fez os procedimentos de reanimação, mas não houve êxito. Infelizmente, o fato foi ignorado pelos grandes meios de comunicação, e a notícia foi publicada em veículos regionais. José Ribeiro passou a morar em Pindoretama há 2 anos, e estava em atividade, gravando discos e se apresentando em shows. Por coincidência, o amigo e colaborador Geraldo, a quem agradeço, enviou este álbum no início deste mês, e já estava pronto para a postagem, que é feita agora em homenagem póstuma ao cantor.

José Ribeiro é natural de Barbacena, Minas Gerais. Iniciou a carreira como cantor de baião, mas o sotaque e a voz explicitamente nasalada foram os vilões da história. O sucesso como cantor romântico foi a vingança do artista. Em 1972, com este “Simplesmente”, lançado pela CBS após passagem pela Copacabana, ele estourou de norte a sul do país, e a música “A Beleza da Rosa” tornou-se o principal hit da sua discografia. O LP seguinte “Meu Coração Que Não Te Esquece” (na foto acima), com direção artística do Renato Barros, obteve sucesso com canções como “Na Porta da Cozinha”, “Um Amor Vai, Outro Vem”, “Meu Coração Que Não Te Esquece” e “A Maior Saudade Minha”. A partir daí, sua música recebeu o rótulo de brega, e ele contestava: “Brega para mim são estas coisas, boquinha na garrafa, isto é que é brega. Se alguém é brega, este cara não sou eu”. Confira:

01 - A Beleza Da Rosa
(Pedrinho - Helvilar)
02 - O Beijo
(Henrique de Almeida - Néco)
03 - Sonho De Amor
(J. Cipriano - J. Moreira)
04 - Juntinhos Assim
(Fernando Barreto - J. Moreira)
05 - Sem Você Minha Vida É Vazia
(Irmãos Orlando)
06 - Nossa Felicidade
(Joel Teixeira - J. Cipriano)
07 - Tive Tanta Confiança
(Pedrinho - C. Cipriano)
08 - Erro de Matrimônio
(J. Cipriano)
09 - Oração De Amor
(Pedrinho - J. Cipriano)
10 - Vou Deixar De Pensar Em Você
(Irmãos Orlando)
11 - Se Pecado Matasse
(Maury Câmara - J. Moreira)
12 - Não Posso Te Amar
(Fernando Barreto - Antonio J. Motta)

COLABORAÇÃO: Geraldo


domingo, 13 de maio de 2018

Agnaldo Timóteo - Obrigado, Mãe (CD 1995)

 CD para as mães tem participações da Angela Maria e Gracindo Junior
A homenagem hoje é para todas as mães. Para isso, o amigo Aderaldo me enviou, e agradeço por este “Obrigado, mãe”, CD gravado pelo Agnaldo Timóteo em 1995 na Globo/Columbia. Foi o penúltimo disco do artista lançado simultaneamente em LP e CD. O último, nos dois formatos, foi em 1996. O repertório, totalmente dedicado às mães, se destaca pelas participações especiais da Angela Maria em três músicas, e do ator Gracindo Junior, que recita o poema “Dia das Mães” na faixa que fecha o disco. Confira:

01 - Obrigado, Mãe (Com Angela Maria)
(Michael Sullivan - Carlos Colla)
02 – Mamãe (Com Angela Maria)
(Herivelto Martins - David Nasser)
° Música Incidental “When You Wish Upon A Star” 
(N. Washington - L. Harline)
03 - Nossa Senhora
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
04 - Mamãe (La Mamma)
(Charles Aznavour - Robert Gall – Versão: Nazareno de Brito)
05 - Mãezinha Querida (Com Angela Maria)
(Getúlio Macedo - Lourival Faissal)
06 - Canção Pra Mamãe
(René Bittencourt - Paulo Tito)
07 - Minha Mãe, Minha Heroína
(Monalisa - N. Orlando - R. M. Silveira)
08 - Mamãe, Estou Tão Feliz (Mamma
(C. A. Bixio – B. Cherubini – Versão: Geraldo Figueiredo)
09 - Mãe, Um Pedaço Do Céu
(Ed Wilson - Carlos Colla)
10 - Flor Mamãe
(Júlio Louzada - Jorge Gonçalves)
11 - Fogão de Lenha 
(Maurício Duboc - Carlos Colla - Xororó)
12 - Dia Das Mães (Com Gracindo Junior)
(Ghiaroni) 


COLABORAÇÃO: Aderaldo


sábado, 12 de maio de 2018

Vários artistas - Se ligue nessas!!! Sucessos nacionais

LP exclusivo para divulgação foi produzido pela gravadora Philips em 1986
“Se ligue nessas!!! Sucessos nacionais” é o título deste LP, produzido em 1986 pela Philips e exclusivo para divulgação. O disco, com os principais artistas do cast, não foi colocado no circuito comercial e apresenta os dez principais lançamentos da gravadora. A postagem inclui duas faixas bônus: “Eu Te Amo Você”, interpretada pela Marina Lima, e “No mundo da lua”, com o grupo Biquini Cavadão, em versões remixes. Além disso, traz intérpretes como Milton Nascimento, Tetê Espindola, Erasmo Carlos, Zizi Possi e outros. Confira:

01 - Milton Nascimento - Encontros e Despedidas (part. esp. Hubert Laws)
(Milton Nascimento - Fernando Brant)
02 - Marina - Eu Te Amo Você
(Kiko Zambianchi)
03 - Altay Veloso - Entra E Sai de Amor
(Altay Veloso)
04 - Biquini Cavadão - No Mundo Da Lua
(Bruno - Sheik - Miguel - Alvaro)
05 - Celso Blues Boy - Marginal (com Cazuza)
(Celso Blues Boy)
06 - Zizi Possi - Perigo
(Niko Rezende - Paulinho Lima)
07 - Erasmo Carlos - Nação Dividida
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Tetê Espíndola - Na Chapada (com Ney Matogrosso)
(Tetê Espindola - Carlos Rennó)
09 - Os Melhores - Emoções Baratas
(Rodrigo - Sérgio - Paulo)
10 - Eduardo Dusek - Aventura
(Eduardo Dusek - Luiz Carlos Góes)

BÔNUS

11 - Marina - Eu Te Amo Voce (Hitmakers Love Mix)
(Kiko Zambianchi)
12 - Biquini Cavadão - No Mundo Da Lua (Memê`s Nerd Extended Mix)
(Bruno - Sheik - Miguel - Alvaro)



sexta-feira, 11 de maio de 2018

Os Carbonos - Compactos raros (2018)

  Banda fez sucesso com covers de sucessos nacionais e internacionais
Coletânea reúne músicas de quatro compactos simples e três duplos
Sete compactos, sendo quatro simples e três duplos, produzidos entre 1969 e 1981, num total de 20 músicas, compõem esta coletânea do grupo Os Carbonos, montada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. A seleção traz músicas instrumentais e vocalizadas, e mostram que a banda, famosa por gravar covers de grandes sucessos nacionais e internacionais, era competente no que propunha a fazer. Confira:

01 - 1969 - Days of pearly spencer
(D. McWilliams)
02 - 1969 - Ultima canção
(Carlos Roberto)
03 - 1972 - Férias De Verão (Summer Holiday)
(Tony Temple - Dell Clyde - Adapt. Dino Rossi)
04 - 1972 - Sansão e Dalila (Samson And Delilah)
(H. Stott- M. Capuano - G. Capuano - vs: Carezzato)
05 - 1973 - Eu e o anjo (The devil and the angel)
(Robby Van Leeuwen - vs: Raul Carezzato Sobrinho)
06 - 1973 - Oh! meu grande amor (Sunshine lover)
(D. Boone - R. McQueen - vs: Katia Maria)
07 - 1974 - Venha, venha querida (Love, Oh My Love Amour)
(C. Gordanne – J. Van Loo – I. Wira – Versão: Mário B. G. Carezzato)
08 - 1974 - Oh, Caroline (Oh, Caroline)
(D. Parton – Versão: Fred Jorge)
09 - 1974 - Eu só nasci quando encontrei você
(Mário B. G. Carezzato)
10 - 1974 - Eu lhe peço, vá (Longfellow Serenade)
(Neil Diamond – Versão: Norberto de Freitas)
11 - 1976 - Pombinha branca
(Silvia Boarato - Murano)
12 - 1976 - Secretária da beira do cais
(Xavier - Nenzinho)
13 - 1976 - Se acanha mocinha
(Deymos - Gandhula - Antonio Carlos)
14 - 1976 - Paraiba
(Humberto Teixeira - Luiz Gonzaga)
15 - 1977 - Te amando (Fernando)
(B. Andersson – S. Anderson – B. Ulvaeus – Versão: Silvia Boarato)
16 - 1977 - Vontade de dançar (You Make Me Feel Like Dancing)
(L. Sayer – V. Poncia – Versão: Fred Jorge)
17 - 1977 - Jamais terei paz (Tonight's The Night) (Gonna Be Alright)
(Rod Stewart – Versão: Mário Carezatto)
18 - 1977 - Sonho (Feelings)
(Morris Albert – Versão: Deymos)
19 - 1981 - ... E o vento levou (Melô Do Passarinho) (Gone With The Wind)
(Allie Wrubel – Herb Magidson – Versão: Raul Carezzato)
20 - 1981 - Pássaro selvagem
(Raul Carezzato)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 10 de maio de 2018

Françoise Hardy - La question (CD 1995)

 Álbum lançado no Brasil em 1972 foi reeditado em CD no ano de 1995
Este álbum da Françoise Hardy, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, se destaca pela faixa “La question”, música que dá título ao disco e que fez parte da trilha sonora internacional da novela “Selva de pedra”, da Rede Globo. O LP, gravado em 1971, mas lançado no Brasil em 1972 pela Som Livre, também se destaca pela ficha técnica, que apresenta a saudosa cantora e compositora brasileira Tuca (17/10/1944 – 08/05/1978), responsável pela autoria de 10 entre as 12 faixas, e ainda responde pela direção artística, arranjos e acompanhamento na guitarra. Tuca, na época, morava em Paris, onde fixou residência por cinco anos, e se tornou amiga da artista francesa (na foto abaixo). Uma das curiosidades é a faixa “Rêve”, que fecha o disco, pois é de autoria do também saudoso Taiguara (09/10/1945 – 14/02/1996) em parceria com a própria Françoise Hardy. Trata-se, portanto, de um disco francês, mas com o tempero do talento de dois artistas brasileiros.

Françoise Hardy nasceu em Paris em 17 de Janeiro de 1944 e é bastante popular, principalmente durante os anos 1960, tornando-se uma das principais representantes do iê-iê-iê francês. Quando terminou o ensino secundário, o seu pai ofereceu-lhe uma guitarra, e a garota começou a compor canções. Ingressa na Faculdade de Ciências Políticas na Sorbonne, tendo depois mudado para Letras. No entanto, não chegou a concluir nenhum curso, descobrindo na música a sua vocação. Em 1961, com apenas dezessete anos, assinou um contrato com a editora discográfica "Vogue". No ano seguinte, alcança grande sucesso internacional com a canção "Tous les garçons et les filles", à qual continua associada até hoje. Participa de festivais e até do filme estadunidense “Grand Prix” em 1966. Após vários sucessos, anunciou em 1988 que se retiraria do mundo da música, e lança aquele que supostamente seria o seu último disco, "Décalages". Apesar da sua intenção, a retirada não se verifica, e em 1993 grava um dueto com Alain Lubrano, "Si ça fait mal", uma canção sobre o vírus da Aids. Dois anos depois, assina um contrato com a editora Virgin, e em 1996 lança o álbum "Le danger". Regressa ao disco em 2000 com a edição de " Clair-obscur", e lança os álbuns “Tant de belles choses” (2004), “Parenthèses..” (2006), “La pluie sans parapluie” (2010) e “L'Amour fou” (2012). Confira:

01 - Viens
(Tuca - P. Bilat)
02 - La Question
(Tuca -  F. Hardy)
03 - Meme Sous La Pluie
(Tuca - B. du Pac)
04 - Chanson D'o
(Tuca - F. Gerald)
05 - Le Martien
(Tuca - F. Gerald)
06 - Mer
(Tuca - F. Hardy)
07 - Oui Je Dis Adieu
(Tuca - F. Hardy)
08 - Doigts
(F. Hardy)
09 - La Maison
(Tuca - G.G.)
10 - Si Mi Caballero
(Tuca - F. Gerald)
11 - Bati Mon Nid
(Tuca - F. Gerald)
12 - Rêve
(Taiguara - F. Hardy)

COLABORAÇÃO: Laércio



quarta-feira, 9 de maio de 2018

Vários intérpretes - Os grandes sucessos (LP 1972)

 Álbum da RCA Camden reúne grandes sucessos nacionais da gravadora
Esta coletânea, “Os grandes sucessos”, álbum lançado em 1972 pela RCA Victor, atende ao pedido do amigo Miguel. O disco resgata os principais hits nacionais da gravadora na época. Os destaques do repertório são “Se eu pudesse conversar com Deus” (interpretada pelo Antonio Marcos), “Adeus solidão” (Carmen Silva), “O pequeno burguês” (Martinho da Vila), “A namorada que sonhei (Nilton César) , “Você abusou” (Antonio Carlos e Jocafi) e outros. Confira:

01 - Antonio Marcos - Se eu pudesse conversar com Deus
(Nelson Ned)
02 - Paulo Henrique - Uma lágrima
(Bigassi - Cini - vs: Sebastião F. da Silva)
03 - Carmen Silva - Adeus solidão (Picking up pebbles)
(Curtis - vs: Newton Miranda)
04 - Nelson Gonçalves - Nem às paredes confesso
(A. Ribeiro - F. Trindade)
05 - Lindomar Castilho - Pureza
(Osmar Navarro)
06 - Antonio Carlos e Jocafi - Você abusou
(A. Carlos - Jocafi)
07 - Nilton César - A namorada que sonhei
(Osmar Navarro)
08 - Demétrius - Ei! Meu pai
(Demétrius)
09 - Vanusa - O que é meu é teu
(Silvio Brito)
10 - Dom e Ravel - Você também é responsável
(Dom - Ravel)
11 - Barros de Alencar - Meu amor (Monia)
(Dal Finado - Jager - Vidalin - vs: S. F. Silva)
12 - Martinho da Vila - O pequeno burguês
(Martinho da Vila)



terça-feira, 8 de maio de 2018

Vários artistas - Primeira audição - Volume 8 (LP 1976)

 Exemplar exclusivo para divulgação traz lançamentos da RCA Victor
Eis aqui o oitavo volume da série “Primeira audição”, projeto do departamento de marketing da RCA Victor para divulgar seus lançamentos. O disco, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço, é exclusivo para divulgação, ou seja, não foi colocado à venda no circuito comercial. A ideia é incluir no mesmo disco os principais lançamentos do período. Neste caso, o álbum foi produzido em 1976, e traz alguns sucessos da época, como “Mistura de carimbó nº 2” (interpretada pela Eliana Pittman), “Volte amor” (Antonio Marcos e Vanusa), “Quem tem carinho me leva” (Giovana) e outros. O repertório também inclui astros internacionais, como Antonello Venditti, Junior e Claude Baylet, além dos brasileiros Pholhas, Sérgio Reis, Carmen Silva e outros. Confira:

01 - Pholhas - Get back
(H. Santisteban - O. Malagutty)
02 - Sérgio Reis - Chalana
(Mario Zan - Arlindo Pinto)
03 - Heleno - Fique aqui comigo
(Heleno - Murano)
04 - Cristina - Sempre teu amor
(Manacéa)
05 - Junior - It's only love
(N. Napier - Bell - A. morales)
06 - Carmen Silva - Lágrimas de felicidade
(C. Mendes - Pardal)
07 - Antonello Venditti - Lilly
(A. Venditti)
08 - Eliana Pittman - Mistura de carimbó nº 2
Dança do carimbó
(Pinduca - Rui Guilherme)
Bala do rifle
(Pinduca - João Antonio de Oliveira)
Tia Luzia, Tio José
(Pinduca - João)
09 - Márcio José - O professor de violino (Il maestro di violino)
(Modugno - Caruso)
10 - Vanusa - Amor desempregado
(Antonio Marcos - Mario Marcos)
11 - Claude Baylet - Pour notre amour
(Johny Rech - James Bolden)
12 - Antonio Marcos e Vanusa - Volte amor (Tornero)
(I. Polizzy - C. Natili - M. Ramoino - P.E. Palumbo - vs: Murano)
13 - Giovana - Quem tem carinho me leva
(Giovana)
14 - Barrabas - Checkmate
(F. Arbex)

COLABORAÇÃO: Geraldo



segunda-feira, 7 de maio de 2018

Bob Nelson - Vaqueiro alegre (CD 1996)

Cantor foi pioneiro na fusão entre a música caipira brasileira e o country americano
Bob Nelson, o último cowboy daqui, como canta Erasmo Carlos, comparece no blog com este CD, “Vaqueiro Alegre”, editado em 1996 pela Revivendo. O disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, é uma coletânea com 21 faixas, gravadas entre 1944 e 1951, período em que manteve ativa a carreira artística. Apesar do curto período, Bob Nelson fez as delícias da garotada e dos adultos com sua figura de cowboy, e conquistou fãs como Roberto e Erasmo Carlos. Foi pioneiro na fusão entre a música caipira brasileira e o country norte-americano. Firmou um estilo que não teve seguidores, apesar de imitadores sem conta terem brotado onde houvesse uma estaçãozinha de rádio. Suas modulações tirolesas também nunca foram superadas, e ninguém conseguiu chegar sequer às suas esporas, apesar de ter nascido numa grande metrópole,  Campinas (SP), em 12 de outubro de 1918.

Nelson Perez, seu nome de batismo, foi contador, e iniciou a carreira como crooner da Orquestra Julinho e cantor solista do Grupo Cacique, que se apresentava na Rádio Educadora de Campinas, nas pegadas do Bando da Lua e dos Anjos do Inferno. O grupo teve o privilégio de acompanhar Carmen Miranda quando a cantora se apresentou na comemoração do bicentenário de Campinas em 1939.  Uma noite, em Taubaté, canta no serviço de alto falante uma adaptação que tinha feito de “Ó Suzana”. Agradou demais e foi estimulado a ir à “Hora da Peneira Rodine”, na Rádio Cultura de São Paulo. Fica em primeiro lugar, e depois de participar com sucesso de outros programas de calouros, é contratado pela Rádio Tupi. 

Na sequência, o ator Ziembinski o convida para ir ao Rio de Janeiro, onde atua na Rádio Tupi e Cassino Atlântico. Daí em diante, o vaqueiro alegre, seu slogan, torna-se astro do disco e da Rádio Nacional, emendando um sucesso após outro.  O Brasil também o conhece através do cinema: “Este mundo é um pandeiro” (1946), “Segura essa mulher” (1946), “É com este que eu vou” (1948) e “Estou aí?” (1949). Muito tempo depois, em 1970, faria papel de padre em “Vale do Canaã”, sob a direção de Jece Valadão. Casa-se em 1950. Deixando de cantar, continua na Rádio Nacional, como secretário do departamento jurídico e diretor do departamento de gravações. Lá, aposenta-se em 1976, depois de 26 anos ininterruptos de trabalho na estação, mas nunca deixou de trabalhar. Ele morreu, aos 90 anos, em ‎28 de agosto de 2009, depois de sofrer uma parada cardíaca, mas deixou seu nome marcado na história do rádio e da MPB. Confira: 

01 - Ó Suzana!
(Stephen Foster - Bob Nelson)
02 - Meu cavalo pangaré
(Arlindo Marques Junior - Roberto Roberti)
03 - Eu tiro o leite
(Bob Nelson - Sebastião Lima)
04 - Burro teimoso
(Antonio Almeida)
05 - Saudade do povoado
(Irmãos Orlando - Bob Nelson)
06 - Santa fé
(José Cunha - Nelson Teixeira)
07 - Okey Johnny
(Vito Bonny - Oswaldo França - Carlos Armando)
08 - Cri-cri
(Klécius Caldas - Armando Cavalcanti - David Nasser) 
09 - Vaqueiro do oeste
(Stephen Foster - Bob Nelson)
10 - Um samba na Suiça
(Janet de Almeida - Haroldo Barbosa)
11 - Índio de paletó
(Mary Monteiro - Pedro Reis)
12 - A valsa do vaqueiro
(Victor Simon)
13 - Não sou de briga
(Santos Rodrigues - B. Toledo)
14 - Califórnia em festa
(Nelson Teixeira - Santos Rodrigues)
15 - Alô xerife
(Pedro Paraguassu - José Batista)
16 - Minha linda Salomé
(Dênis Brean - Victor Simon)
17 - O boi Barnabé
(Bob Nelson - Victor Simon)
18 - Vaqueiro no samba
(Irany de Oliveira - Rosalino Senos)
19 - Vaqueiro apaixonado
(Waldemar de Abreu "Dunga")
20 - Um vaqueiro na cidade
(Peterpan - Ary Monteiro)
21 - Vaqueiro alegre
(Ben Kanter - Bob Nelson - Victor Simon)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


domingo, 6 de maio de 2018

Marlene Dietrich in Rio (LP ao vivo - 1959)

 Destaque do disco é a gravação em português do clássico "Luar do sertão"
Capa da reedição brasileira, na foto acima, é diferente da norte-americana
6 de maio de 1992. Foi nesse dia, há exatos 26 anos, que o mundo recebeu a notícia da morte de Marlene Dietrich em seu apartamento em Paris, aos 90 anos, de causas naturais. Mas a estrela vive para sempre, com seu estilo inconfundível, e na forma como desafiou os costumes de uma época. Reconhecida pelo estilo pessoal peculiar, foi a primeira mulher a usar calças publicamente nos anos 1920, e considerada uma das atrizes mais glamourosas dos anos 1930 e 40. Nos anos 1950 e começo dos 1960 a atriz, e também cantora, contratou o pianista e maestro Burt Bacharach para dirigir seus shows, segmento que passou a investir após reduzir suas atividades no cinema. Em 26 de julho de 1959, Marlene desembarcou no Brasil para apresentações em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde cantou no Golden Room do Copacabana Palace, e gravou este álbum ao vivo, postado hoje em sua homenagem.

Muito simpática, Dietrich encontrou-se com vários artistas, como Angela Maria (na foto ao lado) e também com o presidente Juscelino Kubitschek, no Palácio Laranjeiras. Foi ovacionada e chegou a cantar a música "Luar do sertão", de Catulo da Paixão Cearense, em português com seu forte sotaque germânico. Ela aprendeu a cantá-la com Cauby Peixoto. Em sua biografia, “50 anos da voz e do mito”, de Rodrigo Faour, o intérprete de “Conceição” conta que a artista pretendia cantar alguma música brasileira em sua excursão pelo País, e chegou às suas mãos a bela melodia de “Luar do sertão”. Cauby, que na época investia carreira nos Estados Unidos, foi procurado para ensiná-la. “Fui levado ao apartamento dela na Park Avenue, lá mesmo, em Nova York, para ensiná-la a cantar a música. Fui com um violonista e comecei. Dei a letra para ela. Conforme eu cantava e ela ia decorando a melodia: “Não há oh gente oh não/Luar como esse do sertão”, lembra Cauby.

O resultado pode ser conferido neste LP, gravado, lançado e relançado no Brasil e em vários outros países. Famosa por suas pernas deslumbrantes, voz profunda e olhar mortiço, Dietrich atuou em filmes mudos nos anos 1920 e virou estrela do cinema sonoro a partir de 1930 com o alemão “O anjo azul” , que a credenciou a filmar em Hollywood. Dentre as películas, destaque para “Marrocos” (1930) e “O expresso de Shangai” (1932). Foi nessa época, que ela abandonou a Alemanha, onde nasceu em 27 de dezembro de 1901, denunciou o nazismo, e naturalizou-se americana, sendo taxada de “traidora” pelos fãs de Hitler. Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu, cantou para as tropas aliadas em diversos pontos do teatro de guerra ao lado de outros artistas, como sua amiga Carmen Miranda. Participou de mais de 50 filmes. O último, em 1978, foi ”Apenas um gigolô”, de David Hemmings, atuando com David Bowie e cantando a canção-título, "Just a gigolo", três anos após deixar de se apresentar depois de uma queda durante um show em Sydney, na Austrália, quando fraturou o fêmur. Felizmente, o Brasil teve a oportunidade de vê-la, aos 58 anos, mas em plena forma, como mostra este LP. Confira:

01 - Look Me Over Closely
(Gilkyson)
02 - You're The Cream In My Coffee
(De Sylva - Brown - Henderson)
03 - My Blue Heaven
(Whiting - Donaldson)
04 - The Boys In The Backroom
(Loesser - Hollander)
05 - Das Lied Ist Aus
(W. Reisch - Robinson - Stolz)
06 - Je Tire Ma Reverance
(P. Bastia)
07 - Allright, Okay, You Win
(S. Wyche - M. Watts)
08 - Makin Whoopee!
(G. Kahn - Donaldson)
09 - I've Grown Accustomed To Her Face
(Loewe - Lerner)
10 - One For My Baby (And One More For The Road)
(Mercer - Arlen)
11 - Maybe I'll Come Back
(H. Jeffrey - C.L. Cooke)
12 - Luar Do Sertão
(Catulo da Paixão Cearense)

Musical supervision by Burt Bacharach


sábado, 5 de maio de 2018

Francisco Cuoco - Disco de Ouro (LP 1978)

 Ator declama versos de amor em sucessos nacionais e internacionais
Quem gosta do ator Francisco Cuoco vai gostar de ouvir este Disco de Ouro, coletânea lançada em 1978 pela RCA Victor, e enviada pelo amigo Laércio, a quem agradeço. O disco, com 10 faixas,  traz declamações românticas do artista com trilha de grandes sucessos nacionais e internacionais. O ator nasceu em São Paulo no dia 29 de novembro de 1933. De origem humilde, filho do feirante italiano Leopoldo Cuoco, Francisco cresceu no bairro paulistano do Brás, junto de sua irmã Grácia e sua mãe Antonieta. Trabalhava durante o dia com o pai na feira e à noite estudava, buscando uma profissão estável. Queria estudar Direito, mas ao entrar em contato com a Escola de Arte Dramática de Alfredo Mesquita, decidiu abandonar os estudos para ser um profissional de dramaturgia.

Estreou no teatro em peças do Teatro Brasileiro de Comédia. Seu primeiro protagonista no teatro foi com o personagem Werneck, de "O Beijo no Asfalto", de Nelson Rodrigues, em 1961, com direção de Fernando Torres. A primeira telenovela foi "Renúncia", escrita por Walter Negrão, levada ao ar em 1965 pela TV Record, e a partir daí foi emendando um trabalho atrás do outro, sempre revestido da aura de galã dos sonhos das telespectadoras. Participou de telenovelas na Rede Tupi e, principalmente, na TV Excelsior, e transferiu-se para a Rede Globo em 1970. Seu primeiro trabalho na emissora foi a telenovela “Assim na Terra como no Céu”, de Dias Gomes, e fez sucessivos trabalhos que o colocaram entre os principais atores do País e o levaram ao disco. Confira:

01 - Duas Vidas
(Poema de Hélio Matheus)
(Música Deixa, de Baden e Vinicius de Moraes)
02 - Amo (Bacharia, de Bach)
(Versos e adaptação de Hélio Matheus)
03 - Aria (Amor e Prece)
(Bardotti - D. Baldan Bembo)
04 - Rock And Roll Lullaby
(Barry Mann - Cynthia Weil)
05 - Don't Say Goodbye
(Paul Bryan - Saloman - Chrystian)
06 - Soleado (Todo o Tempo do Mundo)
(Zacar - Adapt.de Ray Girado - vs. e adapt. de Hélio Matheus)
07 - Vida (My Life)
(Poema de Silvio César)
(Música de Richard Lee - Michael Sullivan - Mark)
08 - Love Theme From The Getaway
(Quincy Jones)
09 - Dio Come Ti Amo
(Modugno)
10 - Momentos Inesquecíveis
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)

COLABORAÇÃO: Laércio


sexta-feira, 4 de maio de 2018

Abba - Super Trouper (LP Picture Disc - S/D)

 LP sem o ano da fabricação foi encomendado pelo fã clube do grupo no Japão
Enquanto os fãs aguardam a volta do quarteto sueco Abba ao cenário artístico, após 35 anos de afastamento, nada como reviver os bons tempos do grupo, que fez muito sucesso nos anos 1970 e início dos 1980. Para isso, vou postar este álbum especial, enviado pelo amigo Samuel, a quem sou grato pela colaboração. Trata-se de um Picture disc, nome que se dá ao disco de vinil que apresenta imagens, como foto, desenho ou gravura, em sua superfície, ou invés do preto tradicional. O álbum, com sete faixas e sem o ano da produção, foi encomendado pelo fã clube do grupo no Japão, e provavelmente teve tiragem limitada, como geralmente acontece em casos como este. O repertório não traz nada de novo, mas o disco agradará aos fãs e colecionadores. Confira:

01 - Voulez-Vous
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
02 - Gimme Gimme Gimme
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
03 - The Winner Takes It All
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
04 - Super Trouper
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
05 - On and On and On
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
06 - Lay All Your Love On Me
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)
07 - One of Us
(Benny Andersson - Björn Ulvaeus)

COLABORAÇÃO: Samuel


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Trilha do Sítio do picapau amarelo - Volume 2 (1979)

 Segundo volume tem as participações dos atores que compõem o elenco
Em atendimento a pedidos de amigos internautas, vou postar o segundo volume da trilha sonora do Sítio do Picapau Amarelo, série produzida pela Rede Globo entre 1977 e 1986, e que a emissora voltou a adaptá-la para a telinha entre 2001 e 2007. Bem diferente do primeiro volume, que traz intérpretes da MPB, o segundo se destaca pela participação do elenco, com destaques para Zilka Sallaberry (Dona Benta), Rosana Garcia Costa (Narizinho), Julio Cesar Vieira da Cunha e Silva (Pedrinho), Reny de Oliveira Santana (Emília), Joaquim dos Santos Bonifácio (Visconde), Jacira Sampaio (Nastácia) e outros. O disco, sem intervalo entre as faixas, tem as participações dos cantores Gilberto Gil (em duas versões do tema do programa, ao vivo e em estúdio), Sérgio Mello, Marcio Lott, Betinho, Ismail, Luna e Nize. Confira:

01 - Gilberto Gil - Sítio do Picapau Amarelo
(Gilberto Gil)
02 -Tema do Quindim 
(Dori Caymmi e Geraldo Casé)
03 - Jabuty 
(Dori Caymmi e Paulo Afonso Grisolli)
04 - Tema do Rabicó 
(Dori Caymmi e Geraldo Casé)
05 - Os Piratas do Capitão Gancho 
(Dori Caymmi e Wilson Rocha)
06 - Sitio do Picapau Amarelo Espacial 
(Gilberto Gil)
07 -  A Cuca Te Pega 
(Dori Caymmi e Geraldo Casé)
08 - Tema Da Iara 
(Dori Caymmi)
09 - Tá Quente, Tá Frio 
(Dori Caymmi e Chiaroni)
10 - Tema De Malazarte e Zé Carneiro 
(Canarinho e A.Brumatti)
11 - Gilberto Gil - Sítio do Picapau Amarelo
(Gilberto Gil)


quarta-feira, 2 de maio de 2018

Vários intérpretes - Zona Franca (LP 1979)

 LP temático traz canções inspiradas na chamada zona do meretrício
Eis aqui a “Zona Franca”, uma interessante coletânea lançada em 1979 pela Continental, enviada pelo amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração. A julgar pela capa e pelos títulos das canções, como “Vida fácil”, “Maria da madrugada” e “Vou ficar, pois aqui sou feliz”, o disco é temático, e foi inspirado na chamada zona do meretrício, área onde ficam concentrados estabelecimentos como bordéis, prostíbulos, cabarés, bares e boates. O repertório, com 12 faixas, é dividido entre seis intérpretes, desconhecidos do grande público. Acredito que o álbum teve boa aceitação, pois foi relançado na sequência como “A grande parada nacional do amor”, LP com nova capa e o subtítulo “Músicas para um milhão de amantes”. Confira:

01 - Waldo Madureira - Guarda Noturno
(Rivelindo - Leon)
02 - Lenny Marcos - Coluna Social
(Graciela Correa - Jean Pierre)
03 - Demian - Maria Da Madrugada
(Demian - Eleu Salvador)
04 - Jorge Luiz - Vida Fácil
(Eleu Salvador - Roberto dos Santos)
05 - Walter José - Volte Pra Casa
(Marcos Roberto - Dori Edson)
06 - Tony Favete - Vou Ficar, Pois Aqui Sou Feliz
(Max Jr. - Silas Alves - Jean Pierre)
07 - Walter José - Funcionária Exemplar
(Walter José - Mandy - Jean Pierre)
08 - Waldo Madureira - Zona Franca
(Eleu Salvador - Ricardo Silva)
09 - Demian - Palco Da Noite
(Tony Damito - C. Resende)
10 - Jorge Luiz - No Pé Da Mesa
(Rivelindo - Leon - Jean Pierre)
11 - Lenny Marcos - Estrela Do Amor
(Lenny Marcos - Walter José)
12 - Tony Favete - Chegou Minha Vez
(L. Marcos - Eleu Salvador)

COLABORAÇÃO: Geraldo


Comunicado importante para os amigos internautas